Mídia Social X Vida Real

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Ultimamente temos ouvido falar muito sobre as redes sociais e sua autenticidade ou a falta da mesma. Recentemente postei uma matéria sobre o assunto aqui. Como blogueira tenho que desenvolver um trabalho de mídia social, isso envolve a criação de conteúdo daquilo que tem de melhor em minha vida, já que Blogs costumam documentar muito do pessoal das blogueiras. Por isso, tenho um ponto de vista interessante sobre esse assunto que tem sido muito difundido nos últimos tempos.

 

 

 

 

Naturalmente que aquilo que compartilho nas mídia sociais e no Blog não é um retrato completo da minha vida, isso porque procuro escolher os melhores trechos daquilo que está acontecendo comigo ou com o Blog, tais acontecimentos fazem parte de momentos da vida, mas não é a totalidade disso.

Claro que a partir do momento que você escolhe participar desse mundo de mídia, independentemente de ser ou não um criador de conteúdo, você precisar separar o que é ou não real, além disso, é necessário estar pronta para críticas, afinal, nem sempre podemos agradar a todos.

É importante lembrar que tudo o que vemos na mídia é uma versão idealizada da vida de alguém. É tão fácil visualizar a página de alguém e achar que levam uma vida perfeita, com jantares e eventos maravilhosos! Amigos rindo! Corpos perfeitos! Casais de férias! Um mundo que parece filme!

Em geral, só se compartilha o melhor dos momentos, isso não significa que suas vidas são uma rotina de beleza e diversão sem fim.

Lembre-se que um feed de imagens muito bem selecionadas não pode retratar a visão realista da vida de ninguém.

Acredito ser benéfico para mim ter a consciência de que um descanso de vez em quando é saudável para uma blogueira ou blogueiro e que nem tudo que for belo e divertido em minha vida precisa ser compartilhado sempre nas redes sociais. Embora, sinta a pressão que eu mesma me impus de que tenho que fornecer conteúdo relevante todos os dias, é importante saber apreciar um momento só meu, fora das lentes.

Também é importante não se prender a esse mundo e saber separar as coisas. Pode ser assustador saber que você está preso em meio a uma teia de pessoas que perderam sua identidade para viver uma vida superficial como se fosse uma eterna self muito bem tirada. Procuro me desligar desse mundo após as 20:00 horas, pois acredito que esse seja meu trabalho e não minha vida.

Apreciar momentos de lazer com a família e com amigos queridos ou mesmo assistir um filme com meu marido me torna emocionalmente saudável para entender e separar o trabalho da minha vida particular.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *